quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Eurotrip, Passaporte para a Confusão!


Como eu havia dito no meu post anterior, há diversos filmes que deixo passar por minha vida sem eu prestar atenção pelo simples fato de não chamarem a minha atenção, seja pelo trailer, nome ou até mesmo a sinopse atrás do encarte.

Esse é um dos filmes que não passariam na minha seleção de Trailer, porém se eu tivesse pego ele em um dia de preguiça na locadora (sim, há vários deles onde apenas escolho pelo nome e capa) ele poderia chegar a rodar em meu dvd. "Eurotrip, Passaporte para a Confusão!" iria pegar um avião diretamente para a minha casa.

Não sou nenhum pouco fã de besteirol-americano, ainda mais aqueles mais tontos cujo o único sentido é falar de assuntos sexuais de uma forma grotesca e até mesmo nojenta, como a franquia American Pie.

O filme é um besteirol europeu (Quê?). Calma que eu explico. Esse filme é inteiramente americano, desde produção até elenco, classifiquei ele como besteirol-europeu pelo simples fatos dos americanas estarem em solo europeu. Entendido? Sei que não, mas vamos continuar.

Esse besteirol europeu conta a história de Scott, garoto o qual trocava e-mails há muito tempo com a alemã Mieke, a qual ele sentia um agrado. Em determinado dia, trêbado, chutado por sua namorada e induzido a crer por seu melhor amigo, Cooper -o qual só pensa em sexo-, que Mieke na verdade era um alemão homossexual que queria abusar dele, tudo isso na mesma noite para fazer um efeito maravilhoso, Scott manda um e-mail nada agradável para ela, mandando ela tirar suas mãos de certas partes íntimas. Um tempo depois, com a ajuda de seu irmão mais novo, Scott percebe que Mieke na verdade é uma alemã e que ele está apaixonado por ela. Aí começa a aventura de Scott e Cooper, saindo de Ohaio à caminho da Alemanha.

Apesar de pitadas de humor a lá de American Pie, o filme consegue escapar da mesmice e consegue implacar momentos realmente engraçados, o que salva o roteiro. Claro que por ser um filme teen não deixa de se apegar a assuntos proporcionais a idade, como beijo, sexo, namoro e muita besteira - não necessariamente nessa ordem.

Os personagens bem construídos fogem do sempre baseado em filmes pop-teen, onde há um garoto correndo atrás de perder sua virgindade, um nerd tentando ser beijado pela primeira vez, um rapaz da mesma idade do virgem, porém bem mais experiente que fica contando vantagem e pega todas. Eles são, acima de tudo, amigos e pessoas que normalmente podemos encontrar em nossa roda de amigos, o que trás o filme mais para próximo da realidade.

Toda essa bagunça fica a ordem de Jeff Schaffer (Quem?), o diretor. Jeff não havia, até 2004, emplacado algum sucesso como Eurotrip, tanto que fora convidado para criar uma sequência para o filme, mas que se passasse na america. Algo como AmericanTrip, ou sei lá eu como. O bom diretor, juntamente com toda a sua equipe e elenco, negaram. Motivo? 'Sair por cima'. E assim foi feito. Porém o brilhante (?) diretor não conseguiu emplacar nenhum outro sucesso a nível mundial novamente.

Os atores, até então não tão conhecidos como outros jovens de filmes pop-teen (Afinal de contas, filmes assim já revelaram Adam Schandler e até mesmo Lindsay Lohan. Vejam bem, não estou falando que eles são bons, só estou falando que foram revelados dessa forma!), mandaram bem. Scott Mechlowicz e Jacob Pitts (Scott e Cooper, respectivamente) pareciam irmãos em cena, um show a parte.

Outro detalhe super importante, e maravilhoso, no filme, é a Fotografia. Passando de monumentos históricos a grande céus abertos por toda a Europa. Dá para viajar nas cenas e até se esquecer de focar nos atores, mas sim nas belas paisagens. Infelizmente um quesito tão importante quanto a fotografia (no meu ver até mais importante), a Trilha Sonora, foi falha.

Comandado por James L. Venable (Não me pergunte, eu também não sei quem é!), a trilha tem guinadas boas e músicas que realmente são boas, mas simplesmente somem no meio do filme. Aqui ela funciona como um simples acessório que quase não é usado, apenas está ali para marcar presença, e só.

De qualquer forma, Eurotrip é um bom filme para aqueles que adoram um besteirol americano, e até para aqueles que não gostam ele poderá ser divertido em certas partes, vale a pena conferir.

PS: Para ser sincero, esse dvd não chegou a rodar em casa. Assisti na casa de um amigo quando passou na Rede Globo, essa semana.

Um comentário:

Rodrigo Sérvulo disse...

Owww

Eu nem sabia o nome.

Mas quando vc falou a sinopse, eu percebi que já vi o começo do filme..

kkkkk

nem cheguei a ver inteiro...

Mas enfim... gostei da resenha!

=D

E ainda mais do nome do novo blog! kkkkkkkkkkk


Abços!